Seguidores

domingo, 22 de novembro de 2009

tempo ruim

                                                          




Tempos soturnos,aqueles dos coturnos
Crianças sem pais, crianças sem paz
Brincavam de guerra, contra o inimigo atroz

Brincadeira custosa, de vida e de dores

Das bolas de gude às balas de fato
Coragem,ousadia
Inocência nos atos

Tempos obscuros
Por onde a memória hesita


Enquanto partiam, com armas de guerra
Outras pariam,crianças promessas

Partos
Rasgando infâncias devastadas
Partidas
Encerrando infâncias adulteradas


Foram e não voltaram
Não foram, também não ficaram
Nem foram, delataram


Vieram e ficaram
Tempos obscuros


Lembranças de vidas passadas
Perdidas


Tormento pelo não conquistado
Conquistado e perdido
Perdido,partido e jamais visto


As crianças, a vida, a morte

Poesia pesada,passada e reverberada
Estremecem ofegantes
Suspensas,Aflitas


Vida versus Morte
Morte pesada,
Marcadas para sempre

Sempre


Nada justifica
Bandeiras,credos,fronteiras



NADA







2 comentários:

Renam disse...

Encantado com seu blog! PARABÉNS!

Blogat disse...

Valeu querido,pela força.Enjoy it!