Seguidores

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Companheiras

Dominique era o nome dela
A cachorra
Mas ,para os íntimos
Birica

Viralatas legítima
Sapeca,feliz, confiante,confiada

Deitava-se
Na nossa ausência
Embaixo do carrinho do bebe
E ai de quem ousasse!

Nos últimos anos
Muitos
Era companheira e companhia da Vó

Uma poltrona na frente da outra
A se cuidarem
E a vó a repetir:
Só espero que vá antes
Para não sentir a minha falta...

Foi hoje
E nós sentimos sua falta

Ela,18
Tempo prá cachorro

A vó,93,chora

6 comentários:

Andrea disse...

Saiu na frente a danada como sempre...um dia elas se encontram.Belo texto as usual...bjks

Blogat disse...

Bjks filha!

Professora Carla Fernanda disse...

Bom dia! Muito triste perder nossos queridos amiguinhos. já passei por issso e sei como é. Veja no meu marcadoer AMIGOS o meu cachorrinho ULly, conto lá a história dele quando se foi.
Bela poesia.
Carla Fernanda

Blogat disse...

Obrigada Carla.É triste mesmo.Vou lá ver a história do Ully.Bj

Jorge Sader Filho disse...

Os cães vivem no seu mundo, é óbvio. Mas também não menos claro que a intimidade com o homem surpreede!
Uma feliz postagem, Maria Alice.

Carinhos,
Jorge

Blogat disse...

Feliz/infeliz postagem,Jorge. Impressionante mesmo nosso envolvimento com eles.E com alguns em especial.
Beijo grande