Seguidores

domingo, 28 de junho de 2009

Testamento

Quando eu morrer,por favor não sofram
Alegrem-se ao invés,pois eu estarei em paz
Não cultivem ou enfeitem meu corpo posto que foi minha prisão
Deixem-no então voltar à natureza
Para que retorne fruto ou flor

De mim,fiquem com a alegria,com a paixão e
Com o conformismo de ter estado viva

Por mim,alegrem-se,uma vez que,
Finalmente
Encontrei o que durante todo o percurso quiz.
Paz.A paz da ausência de ânsias,de desejos ou expectativas.
Do sofrimento vão.

A vida é passagem.
O verdadeiro sentido, é a morte.
Sorriam, por favor. Teresópolis,26/05/93

7 comentários:

Bianca disse...

Me deu muita saudade de conversar com vc...bj grande!!

Blogat disse...

Bianca querida
Só vc...de todos,posso dizer que é o meu preferido,o que mais me retrata,a mim mesma.BJ

adriana disse...

fiquei aqui pensando, pq escreveu isso em 93 ? e a proposito nao quero pensar na sua morte!

Blogat disse...

Estados de alma,convicções,desejos.Não vou morrer,vou descansar e estar em paz,sabendo-os bem.Bjs

Viii disse...

É uma imagem tão vívida de 1993. Em minhas lembranças desse tempo vejo apenas imagens turvas, confusas. Mas é lindo perceber que de tudo há o lado cristalino, brilhante, em todo tempo.

Muito sábio o seu texto. Quisera que todas as pessoas pudessem encarar a morte com tamanha sabedoria.
Beijos

Blogat disse...

Meus quarenta anos, Viii.
Mãe, então, de cinco filhos, indo para o terceiro casamento...(donde viria o sexto filho).
Tudo muito vívido, e vivido mesmo!
:-) Beijo!

Jorge Sader Filho disse...

Um excelente maneira de pensar, Maria Alice. Talvez voltar em cinzas seja ótimo adubo.
Beijo
Jorge