Seguidores

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Madrugada

21/10/92


Era mesmo um negão.Desses que nos fazem mudar o rumo, na rua, só para não encarar...
Forte, grande.Os pés, fora da maca;"abaixa a perna Adauto!Adauto, acorda Adauto!
Gemia e fazia ruídos estranhos, com a sonda enfiada no nariz.
Tremia e parecia que ia ter um "troço" e "esticar as canelas".
Não sei quem era o Adauto.O que fazia nem por que estava ali.
Frágil, entregue, à merce.À merce da vida(ou da morte)
Da bondade (ou da maldade)das pessoas encarregadas dele.

Assim como eu.Assim como a minha pequena.
De volta à idade média.Às voltas com as normas
Rígidas, cruéis, desumanas.
Será gente,quem cuida da gente?

Não, decididamente, não é gentil.
É autoritário, perverso.

Pobre Adauto! pobre de nós!
Entregues, presos, num hospital público!

Um comentário:

qvale4 disse...

muy buen blog !!! saludos desde argentina.