Seguidores

sábado, 27 de março de 2010

Belo Monte- Opções,porque não?



Em mais de cem quilômetros do rio [na Volta Grande], há corredeiras, terras indígenas, ribeirinhos, e a vazão vai descer tanto com a barragem que os peixes podem não conseguir se reproduzir."

Especialistas das áreas de engenharia, biologia e sociologia consultados pelo G1 afirmam que o trecho de cem quilômetros da Volta Grande do rio Xingu, no Pará, será prejudicado com a construção da hidrelétrica de Belo Monte, projetada para ser a segunda maior usina do país e cujo leilão para definir os construtores da obra está marcado para o dia 20 de abril.

A reportagem visitou a tribo indígena Arara, na Volta Grande, e os índios manifestaram a preocupação de que o rio possa secar. O governo, no entanto, afirmou que a vazão pode ser reduzida com a instalação da barragem, mas que o rio não secará e a navegabilidade não será afetada.

Quatro especialistas foram consultados: dois engenheiros são favoráveis à obra e um biólogo e uma socióloga são contrários. No entanto, três deles sugerem mudanças no projeto da usina para que a população da Volta Grande não seja gravemente afetada.


Segundo dados do governo, o rio Xingu perde vazão – quantidade de água - no verão, época de seca. Por conta disso, a expectativa é de que Belo Monte, que terá capacidade instalada de 11.233 MW, tenha uma geração média de 4,5 mil MW. Em época de cheia pode-se operar perto da capacidade e, em tempo de seca, a geração pode ir abaixo de mil MW.

O biólogo Hermes Fonseca de Medeiros, doutor em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), diz que, com a instalação da barragem antes da Volta Grande, a água que normalmente segue para aquela região terá vazão reduzida a ponto de impossibilitar a reprodução de peixes e favorecer a proliferação de doenças.

3 comentários:

Jeanne disse...

Não entendo muito destas coisas, aliás parece que nem os "entendidos" chegam a uma conclusão.
Qualquer ação que for alterar a natureza tem que ser muito pensada, estamos em uma situação bem delicada com o aquecimento global, desmatamento,e tudo o mais que prejudica a natureza.
Beijos

Jorge disse...

Alice,

triste quando o crescimento tem a afetar a Natureza. Creio existe=ir outras opções para gerar energia, mas ainda creio que o dinheiro fale mais alto. Parece-me que o habitante do local é o que menos tem sido valorizado. O que é uma pena.

Minha amiga, ótima informação para a nossa reflexão.

Um beijo e uma excelente semana!!
Jorge

Blogat disse...

É isso amigos...$$$$$ sempre na frente.Esse é um projeto de 1980(!!!!) desengavetado sem a devida atualização e adaptação.$$Triste,mas tem gente lutando,por lá,principalmente.
Essa notícia é do G1 e mostram as manifestações da população local entre outras.Bonito de se ver.